Lembro-me como se fosse ontem da primeira vez que vi uma ˜loja dentro de outra loja”(pelo menos é desta forma simplista que gosto de definir o que é Marketplace. Estava navegando no site da Amazon americana para comprar um CD do AC/DC fora de catálogo no Brasil e percebi que aquele mesmo CD possuía uns 10 preços diferentes. Ao clicar na opção para ver esta lista de lojas, reparei em nomes diferentes de lojistas.

Aquilo foi um baque: como assim? A Amazon agora permite que qualquer um anuncie seus produtos lá dentro?!? Na sequência a conclusão: genial. Não sei dizer se a Amazon foi a pioneira (e até acredito que sim) mas que a aplicação na prática do conceito me deixou boquiaberto, ah, isso deixou.

Para quem não sabe o que é Marketplace ainda, é exatamente o que eu falei acima: você, com sua pequena loja de ECommerce pode cadastrar seus produtos nas grandes lojas e, através do pagamento de uma comissão, deixar que estes promovam a venda, a publicidade, etc…

Ainda não entendeu? Sem problemas, parece confuso no começo mesmo. Faz o seguinte: volta na imagem destacada no meu Post lá em cima. Perceba que mais ou menos no meio da página do lado direito, logo abaixo do botão comprar com 1click, tem uma caixinha chamada MarketPlace. Pronto: é aí que sua oferta vai aparecer. Repare que existem preços de outras lojas mais baixos que o do próprio Submarino!

Eu sei, você também já se tocou que isso é um grande negócio né? Vamos aos fatos: fazer publicidade na Internet é caríssimo para todos. Não se iludam achando que só o pequeno sofre com isso. Do seu lado, pequeno empresário, trocar estes custos por comissões pagas em vendas feitas é trocar um custo ˜intangível” por outro bastante “tangível”.

É importante pontuar que, dependendo da linha de produtos, as comissões praticadas podem variar de 5% a 35% então é importante que você avalie com cuidado quais produtos do seu mix valem a pena entrar. Além disso, recomendamos a contratação de um serviço para interligar sua loja com os Marketplaces disponíveis, para não ter que cadastrar produtos e alterar preços sempre manualmente. Existem diversas opções no mercado. É fácil encontrar estas empresas: no Google digite ˜interligação com Marketplaces˜. Simples assim.

Alguns grandes ecommerces que possuem Marketplace são: Extra.com, Submarino, Americanas, Wal Mart, Ponto Frio, Mercado Livre e Netshoes. Não tenho a pretenção de chama-los de principais porque, todos os dias, novas lojas estão entrando na brincadeira e ser o principal depende muito do negócio que você tem.

E para estes caras? Qual a vantagem? Por incrível que possa parecer, um dos ˜vilões~que atrapalham o resultado das gigantes do Ecommerce são custos com logística. Armazenas e expedir produtos aos milhões aumenta o risco de erros operacionais. E, como sabemos, cada erro deste custa uma fortuna para ser corrigido. Disponibilizar um Marketplace distribui este custo com outros, diminuindo a necessidade de expansão em operações. Além disso, possibilita um aumento exponencial no número de produtos ofertados. Um dos citados acima possuía 100 mil itens em seu mix. Depois de disponibilizar o Marketplace, hoje o mesmo oferta 700.000 ítens.

É claro que esta relação não é só de harmonias o tempo todo. Problemas precisam ser administrados como em qualquer relação comercial. Mas, se você tem a sua loja e não está satisfeito com os resultados que ela obtém e também não tem muito dinheiro disponível para aumentar a publicidade, estude com carinho as propostas de Marketplace disponíveis. Pode estar aí a virada no seu negócio!

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.