O vendedor, seja de qual produto ou serviço for, precisa entender que não dá para prometer nada para o cliente que não esteja sob o seu controle. 

Se você vende Software não pode prometer um recurso que não existe sem conversar dentro de casa antes. Se você vende um produto que não tem em estoque não pode prometer um prazo sem antes conversar com seu fornecedor.

Caso contrário, um cliente potencialmente satisfeito transformará a sua vida em um verdadeiro “inferno”, e toda vez que esse cliente te ligar, você fingirá que está em reunião, vai ficar procrastinando falar com ele, o estômago vai revirar… Enfim, você sabe o que acontece porque nós dois sabemos que você já fez isso mais de uma vez!

Então, como resolver esse assunto? Simples. Seja você o “maestro”, transforme o problema em solução. Se você vende Software e o cliente te pediu um recurso que não tem no sistema, negocie com o desenvolvimento o prazo de entrega. Pediram 30 dias? Fale 60 para o cliente. Mas não fale para o desenvolvimento isso, em hipótese alguma!

Você vende produtos e seu fornecedor te pediu 30 dias para entrega. Fale para o cliente 45 e não avise o fornecedor.

Se você for bem sucedido acontecerão duas coisas: seus pares de trabalho (desenvolvedores, fornecedores, etc) que atrasarem seus compromissos ficarão com um débito moral com você, pois você venderá a solução de forma “cara” para eles. Ex.: olha, falei com o cliente, ele não gostou muito mais vai aceitar esse prazo extra.

E, para o cliente, ficará a sensação de que você é um vendedor diferente do que ele está acostumado. 

Cabe ao vendedor, o “maestro” da venda, o ônus de administrar essas situações. E você tem apenas duas escolhas para tal: portar-se como o vendedor “enrolão” que ferra o desenvolvimento, o fornecedor e o cliente ou o vendedor revolvedor de problemas, com quem todo mundo quer falar.

A escolha é sua.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.