Todo profissional julga-se bom naquilo que faz. E com os vendedores a coisa não é diferente. Agora, como saber se, de fato, você é um bom vendedor?

Bom, para começar, precisamos entender que até bem pouco atrás nossa profissão era quase que “marginalizada”. Se você virasse para seu pai ou mãe e dissesse: pai, mãe, quero me tornar vendedor correria um grande risco de ouvir: ah filho, não quer estudar mais para conseguir uma profissão melhor?

O Vendedor era visto quase como um atestado de incompetência. Algo do tipo: não deu certo fazendo outra coisa, virou vendedor.

É evidente que isso não é totalmente mentira. Mas essa lógica não se aplica apenas aos vendedores. Qualquer pessoa frustrada pode, seja por conveniência ou pela maré, tornar-se um profissional de uma área que não gosta e desempenhar um papel qualquer.

O ponto por trás disso tudo é que não existem faculdades de vendas. Na faculdade temos acesso a formações mais básicas e elementares e, justamente pelo vendedor normalmente ser forjado pela faculdade da vida, acaba acontecendo esse preconceito.

Porém, nos últimos anos, isso tem mudado. As empresas e pessoas perceberam que, no fim do dia, todo mundo precisa vender. Seja vender um produto ou serviço, seja vender a si mesmo, sua imagem.

Startups de todos os segmentos despejam dinheiro nos departamentos de marketing e vendas para acelerar seus crescimentos e, com essa corrida por escala e clientes, bons vendedores passaram a ser disputados no mercado.

Costumo dizer que um bom vendedor recebe salário de médico trabalhando com liberdade e alegria (e sem plantões). Se você tem na família um primo, tio ou sobrinho que é vendedor (e ele é realmente bom) é muito provável que seja um dos mais bem sucedidos (senão o mais) da família.

Mas, afinal de contas, o que é um bom vendedor?

Bom, evidente que definir isso é uma questão de ponto de vista. Mas eu pratico no meu dia a dia os seguintes pilares então, se você quiser fazer o mesmo, fique a vontade:

  1. Um bom vendedor tem metas pessoais mais ousadas do que sua meta profissional pode proporcionar
  2. Um bom vendedor é honesto, e não fica fazendo coisas por fora e nem mentindo em relatórios de reembolso
  3. Um bom vendedor preocupa-se com a qualidade da venda e não somente com a venda em si
  4. Um bom vendedor preocupa-se com a entrega bem feita do que vendeu. Logo, ele investe tempo passando para o time de atendimento o que realmente precisa ser feito, no detalhe
  5. Um bom vendedor é organizado e não deixa cliente sem retorno
  6. Um bom vendedor não tira o corpo fora quando um problema acontece

Percebeu que, de nada adianta dizer que é um bom vendedor, se você simplesmente bate suas metas? E sabe porque? Porque alguém que se considera um bom vendedor por simplesmente bater metas é alguém que assume compromisso apenas com a empresa onde trabalha.

Mas, como sabemos, um bom vendedor tem um grande compromisso com seu cliente também. Então, de nada adianta vender muito, se seus clientes estão sempre insatisfeitos ou reclamando.

O equilíbrio entre vender muito mas com qualidade é o que vai determinar se você é ou não um bom vendedor, fechado?

Boas vendas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.